Senhora do Monte

sábado, fevereiro 12, 2005

Metrossexuais na blogosfera

Eu gosto muito das palavras. Da sua capacidade de transmitir ideias e pensamentos, do seu som, do seu potencial humorístico, com os sentidos diferentes que sempre podem ter. Acho mesmo que uma boa palavra, no momento certo, vale mais do que mil imagens. Não me parece que um excelente álbum de gravuras ou de daguerreótipos da Irlanda do século XIX me dêem uma ideia mais precisa de como eram e como viviam as gentes de Dublin do que a escrita de James Joyce. Se gosto de palavras, muitas há de que não gosto. Citarei apenas duas : “metrossexual” e “blogosfera”. Já gosto da palavra “poncho”, mas acho que é só porque nos põe a fazer um ridículo trejeito com os lábios. Experimentaram, não foi?

“Metrossexual” é antes de mais um rótulo. E os rótulos só servem para fins depreciativos ou para fins comerciais. Acontece que eu acho que metrossexual só existe (ou pelo menos só teve a divulgação que teve) por razões estritamente comerciais. Às Clarins Men e Biothermes surgiu uma oportunidade de vender produtos de beleza aos homens sem que eles achassem que estavam a ser amaricados. Passaram a ser metrossexuais. É giro. É moderno. É verdade que é mas para mim continua a não querer dizer nada. Sempre me preocupei com a minha aparência, sempre tentei fazer com que os meus nós de gravata não se parecessem com os do Sócrates, sempre usei cremes que naturalmente não fazem qualquer efeito. Mas nunca precisei de legitimação para o fazer. Já agora pegando na escala Kinsey que mede os graus entre a heterossexualidade e a homossexualidade, de 1 a 6, porque é que não criam o Chanel n.º 5 for men (or close)? “ Eh, pá, não consigo esconder mais isto…afinal não sou um 3 mas sim um 5!”

“Blogosfera” já é uma palavra cujo processo de obtenção é muito retorcido para o meu gosto. Faz pensar que já não há palavras para dizer as coisas. Da palavra “web”, i.e. teia e “log” , diário ou relatório , criou-se a palavra “weblog” e assim “blog” , pelo que à universalidade dos blogs se chamou “blogosfera” . Ora para mim o universo não é redondo e esférico é a bola de futebol nas boca dos comentadores desportivos. Não gosto. Prefiro o simples “nos blogs” do que na “blogosfera”; também dizemos na “net” e na “web” e já não na “netsfera” ou na “websfera” .

Não gostaria que pensassem que não aplaudo a criação de novas palavras, de termos que nos surgem com as tecnologias ou inventados por alguém com criatividade e visão. Só que só aplaudo as boas.

LPC

3 Comments:

Enviar um comentário

<< regressar à página de entrada