Senhora do Monte

segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Eleições no Iraque

Os Americanos são mesmo diabólicos.

Pouco depois da invasão do Iraque, a revista Visão trazia algumas frases e ideias notáveis, como a previsão de que o arsenal químico do Iraque, existisse ou não, seria rapidamente encontrado pelos invasores para justificar a guerra. No entanto, a frase que mais me chamou a atenção foi algo do género "Com que direito querem impôr a democracia aos iraquianos se ninguém lhes perguntou se é isso que eles desejam?"

Foi a última vez que li a Visão. Concerteza que eles não querem leitores tão obtusos que não percebam como é que se pergunta alguma coisa a um povo, a não ser em democracia.

Mas voltemos aos Ianques: diabólicos! O que eles não fazem para confundir os inimigos!

Quanto às armas químicas, que teriam justificado a guerra, dizem que não as encontraram; em relação às eleições, em vez de fazerem ganhar o seu fantoche Ayad Allawi, dão-lhe apenas 15% e deixam ganhar um partido apoiado por um Ayatollah da linha Iraniana, que nunca aceitou sequer falar com o Paul Bremmer.

Deve ser um momento algo confuso para os genuínos líderes dos povos árabes, sejam reis, emires ou presidentes vitalícios: concerteza que nunca pensaram que o Bush fosse tão retorcido que, só para tentar enganar os seus povos com essa quimera decadente a que chama democracia, é capaz de forjar a victória, não dos seus aliados, mas dos seus adversários.