Senhora do Monte

domingo, novembro 07, 2004

Esboço de um perfil

Segundo a memória familiar, no dia em que nasci, o velho Fusca viu-se em apuros para ultrapassar os rápidos criados pela chuva forte na esburacada Estrada de Sintra. A alegria no quarto do hospital onde vim ao mundo, ali para os lados de São Sebastião da Pedreira, contrastou com a solenidade das condolências oficiais pela morte de Golda Meir.

Os primeiros anos foram de rotinas pacíficas, num subúrbio semi-campestre de casas rasas. Depressa esse mundo desapareceu. Gastei as últimas brincadeiras com o meu avô materno atirando seixos planantes sobre enormes crateras alagadas, prenúncios dos primeiros prédios altos de Massamá.

A querosiana estrada engordou, perdeu os buracos e ganhou nome de formulário (IC 19). Pelo caminho, mudei de hábitos. Dividi a escolaridade obrigatória entre um acolhedor palacete da Rua Artilharia Um, infelizmente transformado num parque de estacionamento, e uma moderna construção de inspiração Lego, no Alto dos Moinhos.

Seguiu-se o capítulo universitário, onde optei por Económicas, no vetusto instituto vizinho da Assembleia da República - o mais perto que estive da vida política activa. By the way: sou um democrata (convém começar por aqui); defendo que, garantidos os princípios fundamentais de um Estado de Direito, não deve haver interferência nos estilos de vida e valores de cada indivíduo; sou por um papel importante do Estado na redistribuição dos recursos e na solidariedade social.

Artisticamente, comecei a formar o meu gosto numa cinemateca chamada RTP2. Daqui, o interesse dispersou-se pela música, pela literatura, pela fotografia e pela pintura. Não deixo também escapar a oportunidade de uma viagem, que considero, juntamente com a arte, a melhor forma de nos conhecermos. Que este blog sirva para o relato desse contínuo processo de conhecimento.

Alea jacta est.

5 Comments:

  • ora aqui esta uma belissima prosa. Demoras-te para arrancar mas arrancas-te a todo o gáz. agora só é preciso continuação.abraço.
    pbmc

    By Anonymous Anónimo, at 4:21 da tarde  

  • pois é, demoraste e arrancaste, o q n invalida que continue a ser uma bela prosa e q principalmente careça de continuação. e agora como se diz na minha terra,
    " cuntinuaçam".

    By Anonymous Anónimo, at 10:21 da tarde  

  • logicamente o comentario anterior é da minha responsabilidade. então qual é a minha terra? pbmc

    By Anonymous Anónimo, at 6:58 da tarde  

  • Trata-se de um retrato fiel do personagem.
    Pelas expressões utilizadas confirma-se que foi escrito pelo próprio!!
    gostei
    BDc

    By Anonymous Anónimo, at 11:57 da tarde  

  • Obrigado por Blog intiresny

    By Anonymous Anónimo, at 2:38 da manhã  

Enviar um comentário

<< regressar à página de entrada